Fortunati Decepcionou!

Crédito: Lívia Stumpf/CMPA

Segue meu discurso na tribuna, na 112ª SESSÃO ORDINÁRIA, de 01 DEZ 2010, sobre o Camelódromo.

Fragmento da Sessão, contendo os pronunciamentos dos Vereadores Pedro Ruas e João Antonio Dib em Comunicação de Líder.

O SR. PRESIDENTE (Mario Manfro): O Ver. Pedro Ruas está com a palavra para uma Comunicação de Líder.

O SR. PEDRO RUAS: Sr. Presidente, Srs. Vereadores, Srs. Vereadoras; o dia de ontem foi difícil para a Cidade, e eu confesso que foi muito difícil para mim, pessoalmente. Pela manhã, estavam lacradas 40 bancas no Centro Popular de Compras, o popular Camelódromo. Quarenta famílias que investiram seus últimos recursos neste final de ano, compraram mercadorias para vender no Natal, para sobreviverem e cumprirem seus compromissos, acreditando na capacidade que esta Casa tinha, que os Vereadores de Porto Alegre tinham, do seu pedido ao Prefeito, para que os mantivessem pelo menos até 15 de janeiro as bancas abertas. Não houve essa possibilidade porque a SMIC lacrou, ontem, pela manhã, 40 Bancas. Eu procurei o Ver. João Dib, que foi um gentleman, durante todo o tempo, todo o período. Como Líder do Governo, recebeu-me, ontem pela manhã, falou com S. Exa. o Prefeito, que me mandou o recado de que a palavra do Prefeito José Fortunati era de que manteria os comerciantes no Centro Popular de Compras até 31 de dezembro, e não 15 de janeiro. Eu liguei para agradecer ao Ver. João Dib e lhe disse que ele serve de modelo para todos nós. Mais uma vez, ontem, eu disse que agradecíamos, tínhamos aquele compromisso de 31 de dezembro, e que as bancas abririam ontem à noite. Hoje, fiquei sabendo de que elas não reabriram ontem à noite e nem hoje pela manhã. Reforço aqui o elogio aos esforços do Ver. João Dib. Estou falando em relação ao compromisso do Prefeito que não honrou a palavra dada a este Vereador. Pedi na condição de Presidente da Comissão de Constituição e Justiça. E sei agora, Srs. Vereadores, que ele não determinou que o Secretário abrisse e não há projeto de abertura imediata, ao contrário do que disse a este Vereador. Então, faço este registro aqui de muita tristeza pelos nossos comerciantes do Centro Popular de Compras, meu caro Juliano Fripp, pelos nossos camelôs, mas também porque está criado um problema: os Vereadores de todos os Partidos da base do Governo tentaram evitar, assinaram documento pedindo uma mínima compreensão ao Prefeito, pedindo um mínimo de humanidade em relação àquelas famílias que só tinham o Natal para sua sobrevivência, e, talvez saldar seus compromissos. O Prefeito assumiu, repito, ao final, com este Vereador, Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, o compromisso de manter os comerciantes e reabrir ontem à noite, e não cumpriu! Então fica o registro dessa profunda decepção, fica o registro em caráter também de denúncia. Resta, claro, o meu elogio à atuação brilhante do Líder do Governo, diuturna, porque ainda falava com o Ver. João Dib ontem, tarde da noite, mas fica a nossa mágoa e o registro político dessa dura decepção com o Prefeito de Porto Alegre. Muito obrigado.

O SR. PRESIDENTE (Bernardino Vendruscolo): O Ver. João Antonio Dib está com a palavra para uma Comunicação de Líder, pelo Governo.

O SR. JOÃO ANTONIO DIB: Ver. Bernardino Vendruscolo, na presidência dos trabalhos; Srs. Vereadores e Sras. Vereadoras, meus senhores e minhas senhoras, o Ver. Pedro Ruas, na manifestação que fez, está correto. Realmente o Prefeito, ontem, havia autorizado a permanência lá até o dia 31 de dezembro. Na realidade, eu diria que a Câmara Municipal, principalmente a Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e do Mercosul tem grande culpa nos acontecimentos do Camelódromo. O Camelódromo é uma empresa privada que tem concessão do Poder Público, foi uma Parceria Público-Privada. Ontem, quando fui procurado pelo Ver. Pedro Ruas entendi porque a maioria dos Vereadores havia assinado uma solicitação ao Prefeito para que eles fossem mantidos, para que pudessem, durante o mês de dezembro, fazer a recuperação dos seus gastos, das suas dificuldades, das suas dívidas. Eu disse ao Prefeito – e o Ver. Pedro Ruas me informava a mesma coisa – que seria até o dia 31 de dezembro e que seria a última vez que a Câmara interferiria no problema do Camelódromo. Na realidade, eu estive analisando, dentre os que devem, que os atrasos vão de 22 a 91 prestações, tenho os dados aqui. Ontem à tarde, o Secretário Valter me informou que reabriria as lojas à noite, sem nenhuma dificuldade. Mas ontem, à tarde, a Sra. Verdi – o seu sobrenome – me telefonou quase chorando e eu pensei, até, que era uma das pessoas que queria ser recolocada, ter restabelecida a sua oportunidade de trabalhar. Não, era a responsável pela empresa que tem a concessão do Camelódromo. E chorava, quase, que não podia pagar, que era uma barbaridade, que o Ver. João Dib tinha feito isso. Não, eu não fiz nada de mais, eu apenas coloquei a posição de 35 Vereadores que queriam que, durante o mês de dezembro pelo menos, fosse mantido e seria a última vez que aconteceria isso, porque os Vereadores assim haviam afirmado. Ela me disse que entraria com um mandado de segurança na Justiça, o que ela teria tranqüilidade, em razão do contrato que aqui está, de que ela ganharia a liminar. Depois de muito tempo de insistência dela, eu falei que entrasse, e pronto. Mas ela não entrou e, se entrou, não sei, mas, de qualquer forma, eu acredito que ela tenha conversado com o Secretário e com o Prefeito. O Prefeito, hoje pela manhã, me telefonou, pedindo que aguardássemos até sexta- feira, e estava me convidando para uma reunião no seu gabinete, às 14h30min, de sexta-feira, com a Sra. Verdi e com o Secretário Valter Nagelstein, para que nós pudéssemos tratar desse problema. Talvez, aí, com a presença da pessoa que ameaçou, não sei se entrou com o mandado de segurança, mas pelo menos ameaçou, e ganharia, tranquilamente, volto a afirmar, não sou advogado, sou engenheiro, mas sei ler um contrato. Provavelmente por isso tenha sido sustado. Mas acho que, sexta-feira, às 14h30min, estarei no gabinete do Prefeito; vai o Secretário Valter Nagelstein, Secretário da Indústria e Comércio, a Sra. Verdi, proprietária da empresa que tem a concessão do Camelódromo, provavelmente o seu gerente irá, e com o Prefeito, nós vamos encontrar uma solução, eu espero. Não houve, de fato, uma solução, o que não foi correto, eu acho que houve um desgaste muito grande. Eu, inclusive, me sinto profundamente desgastado, mas, infelizmente, eu não sei os detalhes que levaram o Prefeito e o Secretário da Indústria e Comércio a transferirem para sexta-feira a decisão. Então, eu espero que na sexta-feira a decisão seja aquela que os Vereadores que assinaram aquele Requerimento solicitando que durante o mês de dezembro eles possam trabalhar e talvez recuperar. Agora, eu acho difícil para quem, por exemplo, deve 60, 70, 80 ou 90 prestações. Como eu disse ….(Som cortado automaticamente por limitação de tempo.)

One thought on “Fortunati Decepcionou!

  1. Juruna Falk

    Tenho por costume freqüentar o Plenário dessa Casa Legislativa,como tu bem sabes me dediquei praticamente minha vida inteira,pela Política Comunitária.Mas sou do tempo em que a Campainha da mesa diretora era de bater em sima,não podia nem cochichar no Plenário,noto que hoje não é mais assim.Nossos Vereadores são muito fracos,parece que não levam a sério suas atribuições que lhes são atribuídas por nós Eleitores.Vejo também que os Vereadores antigos são melhores,gosto muito da atuação da Fernanda,acho ela demais,vai dar uma boa Política.Mas concordo contigo que o prazo para aquelas famílias poderia ser estendido até o mes de Janeiro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s